Antisocial?

Já faz um certo tempo que não escrevo, isso se deve bastante em função da minha repentina mudança de rotina, não esquecendo de ressaltar os comuns desperdícios do meu tempo, onde embora eu já tenha agendado uma determinada tarefa que acredito ser mais produtiva e interessante, como escrever por exemplo, acabo - na verdade -, empregando o meu tempo com jogos e conteúdo massificante pela internet, mas o pior, o verdadeiramente pior desperdício de tempo que existe é aquele onde o tempo desperdiçado é destinado a pessoas desagradáveis, e eu já cometi esse pecado, e não mudo a minha opinião ao acreditar que isso foi, e é verdadeiramente um desperdício de tempo.

Eu, particularmente, não me considero um ser antisocial, alguém de antipatia e arrogância extremas a tal ponto de afastar todos que lhe cercam, eu não sou assim. Entretanto, eu - diferente da maioria das pessoas -, admito quando de fato não gosto de alguém ou quando uma pessoa simplesmente não me é interessante, ou seja, quando as conversas geradas, os assuntos dispostos, o próprio pensamento e a companhia de tal pessoa não me são agradáveis.

Ora, creio que seja um comportamento mais do que natural bater em retirada diante de um ambiente desagradável, afinal, não há sentido nenhum em estar do lado de uma companhia infrutífera e enfadonha como são a maioria das garotas que conheço, garotas essas que são muito estimadas e apreciadas pela maioria dos meus amigos.

Estar do lado de alguém desagradável ou pouco agradável, sendo que existem coisas mais divertidas, interessantes e proveitosas a serem feitas, pode e dever ser caracterizado como desperdício de tempo. E eu penso que tempo é um fator vital na vida de alguém, vital ao ponto de que se for bem organizado e orientado tem o poder de proporcionar uma vida melhor e mais agradável.

Sagaz como você é, creio que é bem capaz de perceber que a estima que meus amigos tem - pelo menos alguns deles - por tais garotas é a causa de um pequeno - não tão pequeno assim - conflito, capaz até de determinar o nível de coesão existente no nosso grupo. Eu digo garotas simplesmente porque elas são uma triste maioria dentre essas pessoas que realmente não me são interessantes, existem outras poucas pessoas envolvidas. Esse minúsculo conflito, após várias e cansativas dicussões, foi capaz de determinar o meu comportamento e a posição que tomarei diante do próprio grupo, o que parece ser um exagero, mas não é. É apenas uma forma de encarar objetivamente certos conflitos que de uma forma ou de outra me afetam e me fodem desnecessariamente,

As coisas são de fato muito simples, as relações entre os próprios seres humanos possui - mesmo que minimamente - uma certa característica mecânica, envolta por um método, além daquele velho conceito newtoniano de ação e reação. Ora, se uma pessoa de fato não me agrada, ou se de alguma forma eu sou desagradável e naturalmente incômodo a alguém, o mais natural seria o afastamento, puro e simples. A entrega exarcebada às próprias emoções nos fazem, em determinados aspectos, cometer enormes pecados capazes de gerar frustrações, complicações e momentos de infelicidades, que são de fato coisas completamente evitáveis.

Agora, o que me deixa deveras irritado é que por conta de encarar os fatos de forma simples e natural, por conta de ser ciente das minha preferências e ter ciência que as minhas atitudes são tomadas justamente por conta dessas preferências, eu sou posto em cheque, minhas atitudes são inferiorizadas e no fim de tudo sou tido com o arrogante antisocial, o que é muitíssimo desagradável. Hoje em dia nem tanto, mas não é confortável escutar isso de um amigo como já escutei outras vezes, o que é claro, pode significar que possivelmente tais pessoas possam estar corretas, o que eu aceitaria sem problemas, acontece que em nenhum aspecto tal argumento foi validado por algum conceito lógico, as atitudes das próprias pessoas que assim me classificaram só tende a provar a minha teoria do mecanicismo das relações e no fim das contas acabo estando - pelo menos em parte - certo, e saindo prejudicado mesmo assim.

Como eu disse em um post anterior em um blog que excluí, a tendência é que eu progressivamente me afaste, por conta de estimar meus amigos e porue querer deixar de ser o gerador de conflitos no grupo. Sendo estimada a presença de pessoas que me desagradam, eu naturalmente me retiro, pois sei que perder o meu tempo é algo me deixa muitíssimo insatisfeito e infeliz. Tenderei a procurar outras formas de tornar o meu tempo produtivo, e o que não me faltam são tarefas agendadas, mas eu prevejo que esse natural afastamento, se ocorrer de fato, só vai me gerar um pouco mais de sossego, as confusões que já passei por tentar tolerar essas pessoas já me desgastaram muito, creio que as coisas tendem a melhorar daqui pra frente.
Licença Creative Commons

Este blog é licenciado com a Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir o conteúdo aqui encontrado, mas não pode vendê-lo ou alterá-lo.