Bom Ânimo

"Disse-vos estas coisas para que em mim tenhais paz. No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo."

A minha falta de amadurecimento, bem como minha pouca experiência de vida, costumam ser fortes inimigos nos piores momentos. Isto é potencializado de acordo com os meus níveis de impaciência, que costumam ser elevados.

Recentemente passei a andar por um período complicado, onde eu sou um grande inimigo de mim mesmo. A soma dos meus problemas familiares com a minha falta de humildade e o meu pessimismo, me fazem passar por um momento de infelicidade - que não chega a ser tristeza, mas é tão ruim quanto. Isso tudo me faz observar a vida de uma forma cinza, amarga e rancorosa. Coisa de gente ridícula, e eu abomino ser ridículo.

Tenho ciência de que isto não é saudável, prejudica e destrói. Contudo, também sei que tolo seria se - repentinamente - tentasse me tornar o Palhaço Alegria, saudasse a todos e vociferasse aos quatro cantos que a vida é bela, que não importam quais dificuldades surjam, e toda esta ladainha de gente feliz - ladainha cuspida pela TV e livros da Sextante. Enfim, essas paradas não combinam comigo.

Hoje após o expediente fui à casa do João que - ainda que já estivesse anoitecendo - estava ferrado a dormir. O Seu Chico acordou ele e a gente começou a bater um papo. Após certas horas de conversa e após a mãe do João já ter chegado, comecei a comentar que estava um tanto infeliz, que a vida estava complicada. Comentei de uma maneira que não parecesse um lamento, mas sim um comentário, uma atestação. Nisto, a mãe do João explicou que ela já passou por umas barras bem complicadas e que hoje - após alguns anos - é que está podendo observar as coisas mais confortavelmente.

Eu detesto frases freitas e comentários batidos, coisa fabricada e repetida, realmente detesto. Só que ela conseguiu utilizar um comentário batido de forma inteligente, me convencendo e me animando. Ela resumidamente acabou utilizando o argumento de que "sempre tem outro em situação pior". Só que nossa conversa percorreu caminhos que me levaram ao esclarecimento, que por sua vez trouxe algo que me é muito precioso pela raridade que tem: bom ânimo.

Conforme conversávamos e os exemplos surgiam, percebi que muita gente venceu barras fodidas e hoje é contente com o que faz e com a vida que desfruta, acabei por fim, vendo que eu - tão soberbo - sou um fraco medíocre que ainda que se sinta forte tomba diante d'alguns poucos percalços. Naturalmente que a conversa não limitou-se apenas a estes assuntos, falamos d'outras coisas também. Bobagens saudáveis.

Mas isto ficou em mim. Amanhã não estarei a distribuir sorrisos e abraços, nem a jurar amor e ler poesia. Mas terei tranquilidade, e com isso a tendência é que atitudes acertadas surjam e as coisas melhorem, ainda que um pouco apenas.
Licença Creative Commons

Este blog é licenciado com a Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir o conteúdo aqui encontrado, mas não pode vendê-lo ou alterá-lo.