Chaves, qual o tamanho do mar?

Hoje eu vi o mar pela primeira vez. Não mergulhei, apenas fiquei ali, sozinho, um tanto abestalhado. Minha tia - uma mulher que mostra-se tão incrível quanto seu marido - ficou um pouco atrás, observando eu apreciar solitariamente este meu primeiro contato. Caminhei um pouco em direção à água e deixei as ondas chegarem e molharem os meus pés. Não sei muito bem o motivo d'eu ter feito isso, não consigo associar nenhum motivo romântico, sentimental ou místico para esta atitude. Só bateu a vontade e o fiz.

Tirei algumas fotografias com meu telefone, dentre as que tirei escolhi essa aqui:


Mais cedo - pouco antes do almoço - bebi um pouco de vinho argentino com o meu tio, acho que é a primeira vez que bebo um vinho um tanto mais apurado. O sabor é forte, bem diferente daquelas sangrias vagabundas que eu tinha o costume de beber, acabei o estranhando e por conta disso bebi pouco. Mas com o tempo vai ficando bom, principalmente se for acompanhado de fatias de salame, conforme eu fiz.

Num dia mais acessível eu dou uns mergulhos lá na praia e depois venho aqui prestar os devidos registros.

Meu primo coleciona - modestamente - miniaturas de carros. Não são réplicas miniaturizadas, são só carrinhos mesmo, desses que se compram em lojas de conveniência. Ontem, enquanto bebia com os amigos dele, lá no lago do Jacareí, ele foi comprar mais bebida e cigarros - o filho da puta fez questão de comprar da marca que gosto -, na volta ele me trouxe isto:


Desnecessário dizer que me agradei bastante do presente, vou guardar este aí com muito carinho. Estas pequenas merdas tem a gigantesca capacidade de me melhorar, valeu primo.

Noitada, que nem bem o foi.

Ainda a pouco cheguei de uma espécie de farra com o meu primo, aqui de Fortaleza. Bebi, fumei, e extroverti. A noite foi boa, de certa forma; conheci muita gente nova, no sentido de novas pra mim, não de novas porque são jovens - se bem que o são.

Foi muito bom, acabei percebendo que os amigos do meu primo são bem simpáticos, alcoólicos como eu e apreciadores do bom heavy metal, isso foi o melhor. As moças também são muito interessantes, belas e dadas, a melhor parte de tudo.

Foi agradabilíssimo, estou ainda sob efeito da embriaguez agora, com aquela certa ânsia de vômito, mais por excesso de nicotina que de álcool, mas enfim, eu o busquei. Mas que se dane, foi bom.

Ah, sou outro. Não busquem mais textos pretensiosos e raros, isto se foi. Não sou mais eu e a pretensão acabou, apenas vivo. Já perdi a melhor das mulheres por conta de minha grande fuleragem, aqui isso não mais ocorrerá.

Chega da pretensão e da vontade, apenas passarei os dias e os registrarei.

Até breve.

Parti

Fui aprovado para o curso de licenciatura em matemática pela Universidade Federal do Ceará através do SiSU (Sistema de Seleção Unificada), promovido pelo governo federal. Saí de Belém - onde deixei todos os meus amigos - e estou agora em Fortaleza - onde coisas novas estão acontecendo, coisas que me deixam bem; contente e um tanto empolgado, como há muito tempo não me sentia.

Houve festa no dia da minha aprovação, com direito a embriaguez, música boa e abandono das responsabilidades cotidianas, foi apenas festa. Também houve despedida antes de meu embarque e dois dias antes deste houve uma outra despedida também.

Eu não esperava que a minha partida fosse movimentar os meus amigos desta forma, muita gente despediu-se de mim, gente que não via há muito tempo, gente que não é tão amiga - os colegas -, e os amigos de sempre, os que vejo com frequência. Todos me desejando sucesso, boa sorte, felicidade etc. Sou grato a todos, mas não lhes disse isso, apenas fiquei calado. A verdade é que não consegui dizer nada, o fato de ir embora me emudeceu.

Até ontem, quando realizei minha matrícula, não havia parado pra pensar direito nisto tudo, hoje a ficha começa a cair. Conforme eu percebo que estou neste lugar e que - até aqui - ele tem se revelado um local bastante agradável, eu vou ficando contente. Mas como os jardins não tardam a findar, conforme eu penso que fui embora das pessoas que estimo eu fico pesaroso, tanto mais se eu pensar naquela preta desgraçada - que só agora, quando parto, é que veio olhar pra mim.

Espero que ela não se ofenda caso leia isso, mas achei melhor dizer isso que dizer a excessivamente sentimental e romântica verdade: que meu coração pesa e meu semblante desfalece, que falta dela eu sempre sentirei e que mais do que nunca eu quero passar a vara nessa maldita. Realmente foi melhor não tê-lo dito.

Aos meus amigos, Garous companheiros de matilha, eu peço perdão por todas as merdas que eu cansei de fazer, por ter dito que os senhores não eram meus amigos, quando na verdade estavam ali do meu lado. A mim mesmo eu peço perdão por não ter sido homem o suficiente pra sair destes textos, por só ter coragem aqui, não sendo capaz de fazer o que em verdade queria.

Mas esqueçamos estas merdas sentimentais, já estou aqui há cerca de um dia e meio e ainda não vi o mar.

Tenho Decidido

Eu decidi ser bom em tudo aquilo que me aprouver o desejo, portanto:
  1. Serei um hacker, exímio programador e de vasto conhecimento em computação;
  2. Serei mestre de capoeira, isto tardará, mas um dia o serei;
  3. Me tornarei um escritor;
  4. Vou ser o melhor jogador de DotA do grupo;
  5. Comerei uma bela mulher;
  6. Tocarei piano, com maestria;
  7. Serei um grande colecionador de livros;
  8. Serei um grande colecionar de CD's.
Serei muitas coisas mais, mas o serei. Deixarei de ser a única coisa que atualmente sou: alguém que nada é.

Welcome To These Strange New Days, Stranger

Diante desse novo ano, e diante das tradicionais promessas, planejamentos e reavaliações eu também acabei por pensar, ainda que apenas um pouco, em determinadas coisas sobre a minha vida. Não chegou a ser uma reflexão bem introspectiva, cheia de dramaticidade e autoavaliação. Na verdade foram pensamentos cheios de simplicidade.

Pois estes meus simples pensamentos acabam por se resumir ao fato de que decidi me dedicar a novas atividades, e melhorar nas antigas. Escreverei mais, na verdade, já defini um novo período de publicação neste lugar: passarei a publicar qualquer coisa por aqui semanalmente, faça chuva ou sol. Decidi também que colecionarei CD's e livros.

Esta decisão, a de comprar CD's, veio após a minha mais nova aquisição literária que foi o livro Heavy Metal: A História Completa. Conforme iniciava a lêr as bem informativas e ilustradas páginas deste livro, ficava mais empolgado com o gigantismo musical que é e que foi o Heavy Metal, acabando por perceber que aquilo que hoje chega aos meus ouvidos é fruto de um colossal processo histórico que mudou o panorama cultural do mundo nas últimas quatro décadas.

O livro me fez conhecer novas bandas, valorizar as que já conheço e me fez possuir o enorme desejo de consumir material palpável desse gênero. Com isso, comprei aquele que é o primeiro CD que venho a comprar nesta minha jovem vida: Painkiller, do Judas Priest. E logo após esse comprei Nostradamus, também do Priest.

A decisão de escrever - mais - deriva da minha necessidade de compartilhar coisas sobre mim, da vontade que eu tenho de conversar sobre o que acontece no meu cotidiano. Além de que eu acho interessante registrar a minha vida por escrito, bem como registrar variadas idéias que me possam surgir à cabeça. Quem sabe um dia eu não acabe por escrever uma poesia? Pouquíssimo provável.

Já a decisão de colecionar livros deriva-se do fato de que tenho prazer em vê-los na minha estante (uma parte do guarda-roupas que dediquei aos livros), além de outro fator mais forte que este: quanto mais eu leio, mais eu quero lêr. E isso tudo culmina na minha recente vontade de consumir literatura e por fim, produzí-la. E nisto reside um certo problema: não sou bom em produzir literatura, digo, escrever. E isto acaba transformando o plano das publicações semanais em um verdadeiro desafio, mas assim já o decidi e assim o será.

"You've got desire, so let it out! You've got the power, stand up and shout!"
- Ronnie James Dio.

Licença Creative Commons

Este blog é licenciado com a Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir o conteúdo aqui encontrado, mas não pode vendê-lo ou alterá-lo.