Parti

Fui aprovado para o curso de licenciatura em matemática pela Universidade Federal do Ceará através do SiSU (Sistema de Seleção Unificada), promovido pelo governo federal. Saí de Belém - onde deixei todos os meus amigos - e estou agora em Fortaleza - onde coisas novas estão acontecendo, coisas que me deixam bem; contente e um tanto empolgado, como há muito tempo não me sentia.

Houve festa no dia da minha aprovação, com direito a embriaguez, música boa e abandono das responsabilidades cotidianas, foi apenas festa. Também houve despedida antes de meu embarque e dois dias antes deste houve uma outra despedida também.

Eu não esperava que a minha partida fosse movimentar os meus amigos desta forma, muita gente despediu-se de mim, gente que não via há muito tempo, gente que não é tão amiga - os colegas -, e os amigos de sempre, os que vejo com frequência. Todos me desejando sucesso, boa sorte, felicidade etc. Sou grato a todos, mas não lhes disse isso, apenas fiquei calado. A verdade é que não consegui dizer nada, o fato de ir embora me emudeceu.

Até ontem, quando realizei minha matrícula, não havia parado pra pensar direito nisto tudo, hoje a ficha começa a cair. Conforme eu percebo que estou neste lugar e que - até aqui - ele tem se revelado um local bastante agradável, eu vou ficando contente. Mas como os jardins não tardam a findar, conforme eu penso que fui embora das pessoas que estimo eu fico pesaroso, tanto mais se eu pensar naquela preta desgraçada - que só agora, quando parto, é que veio olhar pra mim.

Espero que ela não se ofenda caso leia isso, mas achei melhor dizer isso que dizer a excessivamente sentimental e romântica verdade: que meu coração pesa e meu semblante desfalece, que falta dela eu sempre sentirei e que mais do que nunca eu quero passar a vara nessa maldita. Realmente foi melhor não tê-lo dito.

Aos meus amigos, Garous companheiros de matilha, eu peço perdão por todas as merdas que eu cansei de fazer, por ter dito que os senhores não eram meus amigos, quando na verdade estavam ali do meu lado. A mim mesmo eu peço perdão por não ter sido homem o suficiente pra sair destes textos, por só ter coragem aqui, não sendo capaz de fazer o que em verdade queria.

Mas esqueçamos estas merdas sentimentais, já estou aqui há cerca de um dia e meio e ainda não vi o mar.
Licença Creative Commons

Este blog é licenciado com a Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir o conteúdo aqui encontrado, mas não pode vendê-lo ou alterá-lo.