Pois Sinto-me Bem

Muito complicado me seria descrever as coisas que sinto agora, as coisas que venho sentindo já faz um certo tempo e as coisas que me ocorreram nestes últimos cinco meses, que creio eu perfazem o tempo deste meu último texto até aqui.

Estou feliz, apesar de tudo estou feliz. Bem sei o quanto costumo ser severo com estas palavras, feliz, felicidade etc. Tanto mais com o seu emprego. Bem, certamente é um tanto tolo afirmar que sou severo com as palavras em si, já que palavras não sentem nada por elas mesmas. A bem da verdade, o que são palavras? Preciso de um dicionário que o diga já que não sei definir o que palavras são. Temo ter me viciado em definições, ao ponto da dependência. Mas qual o vício que não é uma dependência?

O que ocorre, conforme ia dizendo, é que apesar de todos os desagrados que costumam surgir ocasionalmente, uns problemas com dinheiro, tanto os gerados pela falta como os gerados pela presença dele, umas irritações geradas pelo trabalho, umas coisas que não funcionam, apesar de tudo isso me encontro sereno e alegre. Talvez seja algo bem fugaz, que me caia apenas no momento em que escrevo isso e talvez se vá tão logo feche este computador. Isso são coisas que não sei. O tempo das emoções eu certamente não domino.

Me apareceu uma mulher para alegrar os meus dias, me apareceram progressos que buscava há um certo tempo, me apareceu uma certa quantia de dinheiro que apesar de me irritar de vez em quando, me alegra por estar lá. É como se tivesse atingido um certo limiar, no que tange a receber dinheiro, um "milestone" como os gringos dizem. É a primeira vez que em minha conta bancária existe um valor com quatro dígitos. Antes eram sempre três, nunca chegando aos novecentos. Como sou pobre, dinheiro me alegra de vez em quando.

Agora estou na casa da minha mulher, que apesar de eu assim o dizer, não é minha em nada. Ela é dela, acontece que resolveu se doar a mim de vez em quando. Estou aqui com sua família, basicamente composta por pai, mãe, irmãos, cães e gatos. Dois cães e quatro gatos. Ainda a pouco estávamos juntos, vendo um documentário neste mesmo computador, comigo dizendo que a amava e ela retribuindo. É a primeira vez que sou amado. Naturalmente existe o amor da minha mãe, jamais esqueço deste, mas ele não conta pro que quero dar a entender. Sendo assim, é a primeira vez que sou amado e, tão importante quanto, é a primeira vez que amo. Pensei já ter amado antes, hoje tenho mais razões pra crer que não, definitivamente não.

Não gosto de abusar dessas palavras, amor, amar, felicidade etc., porque me soam um tanto frescas e tenho um certo asco à frescura. Não me agrada. Mas devo confessar minhas verdades vez ou outra, nem que seja confessá-las a mim apenas.

Há um gato preto e branco, malhado feito uma vaca, dormindo perto de mim. Está escuro, mas com iluminação suficiente pra tornar esta casa, que é feia, em um lugar bonito. Creio que todas as casas, com a dose certa de iluminação, são bonitas durante a noite. Principalmente quando todos dormem, quando existe o silêncio e se tem liberdade pra escutar o que a cabeça está a dizer. Pra mim esse ambiente é extremamente belo, sorte a minha ele não ser tão raro, ser fácil de reproduzir.

Pois sinto-me bem, já esquecendo aquelas ideias de escrever com raiva, reclamando e me inflamando de revolta. Ela não deixou de existir, claro está, o que me ocorre é que dessa vez busco a dose certa de serenidade pra poder administrar os elementos que cercam o caminho que trilho enquanto vivo. Pouca coisa. Arrumar dinheiro de vez em quando, cuidar dos meus pais quando forem velhos, cuidar dos filhos quando vierem, viajar e beijar a minha mulher em belos lugares. Ler livros, ter uma biblioteca, escrever algo que se note, fazer algo que se note, desistir de querer ser notado, enfim, fazer gerenciar esses pequenos desejos cada um por sua vez, sendo sereno o suficiente pra dar vazão como os sentimentos que sinto agora por mais vezes.

O meu desejo nada mais é que manter-me calmo o suficiente pra poder ser alegre por mais tempo e com isso apreciar a vida que tenho, sendo ela única do jeito que é. O tempo é precioso.
Licença Creative Commons

Este blog é licenciado com a Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir o conteúdo aqui encontrado, mas não pode vendê-lo ou alterá-lo.